Mês: fevereiro 2018

Diagnóstico de Câncer já pode ser coberto por seguro

Iniciativa decorre de avanços no processo de tratamento da doença, que segue com altos índices de incidência no país.

Doença ainda é a segunda maior causa de mortes no mundo e preocupação de muitas pessoas (Foto: Shutterstock)

Poucas palavras assustam mais as pessoas que “câncer”, doença que até a década passada tinha o peso de uma sentença de morte. Do início dos anos 2000 para cá, entretanto, muita coisa mudou, e se os últimos meses não foram tão animadores para a economia mundial, foram momentos extremamente promissores para o avanço nos tratamentos para combater esse mal: o FDA, agência reguladora de medicamentos nos Estados Unidos, acaba de aprovar oito novas terapias contra o câncer, além de ter validado 12 novas formas de utilizar medicações já disponíveis no mercado.

Dessa leva, vale destacar a imunoterapia, tratamento que promete auxiliar as defesas naturais do organismo a detectarem e tratarem tumores que ganhou o status de tratamento mais promissor do ano de acordo com a Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco). Além disso, fatores decorrentes das pesquisas realizadas sobre o tema nas últimas décadas e os avanços tecnológicos em equipamentos médicos permitem que a doença seja detectada em suas etapas iniciais, fator que eleva consideravelmente as chances de sucesso em seu combate – para o tumor de mama, para citar um exemplo, há 90% de chance de eliminação da doença caso a mesma seja detectada precocemente.

Embora os tratamentos tenham avançado, os números da doença ainda assustam: entre 2016 e 2017, a estimativa é de que surjam 600 mil novos casos no país, com 180 mil deles sendo do câncer de pele não-melanoma, o mais incidente na população. Os cânceres de próstata, em homens, e mama, em mulheres, também têm números altos, com estimativa para o mesmo período de 61 mil e 58 mil novos casos, respectivamente, mesmo com as fortes campanhas de prevenção como o Outubro Rosa e Novembro Azul. Dados como esses reforçam a importância de se investir em um bom seguro de vida.

Pensando nisso, e na tendência de desenvolver produtos que acompanhem as pessoas nas diferentes etapas de suas vidas, a seguradora Tokio Marine desenvolveu uma modalidade de produto que pode ser utilizada pelos segurados em vida: o Seguro de Vida Individual, que vai além das coberturas de morte e invalidez. Nele estão inclusas coberturas para diagnósticos de câncer feminino e masculino, além de outras doenças graves.

Indenização para cobrir tratamento
A seguradora oferece coberturas especiais a partir do diagnóstico da doença para ambos os sexos. Os segurados recebem a indenização do plano para auxiliar nos custos do tratamento, que pode ser custoso e longo.

Essas coberturas estão inclusas em três modalidades oferecidas pela seguradora, que incluem também outras doenças graves. No Combo 1 são contemplados câncer, AVC, infarto e transplante. No Combo 2 estão todos os serviços do primeiro, além de Alzheimer, insuficiência renal, perda de audição, Bypass e cegueira. O Combo 3 soma as coberturas do segundo, além de embolia pulmonar, esclerose múltipla e paralisia de membros. Esses benefícios estão disponíveis nos Seguros de Vida Homem e Mulher.

Prevenção é a chave
Mesmo com a cobertura por um Seguro de Vida, a prevenção é a chave para reduzir as chances de incidência da doença e evitar passar por um tratamento penoso. Medidas como manter uma alimentação saudável, evitar o cigarro, reduzir o consumo de álcool e praticar uma atividade física regular são algumas das boas práticas para prevenir contra esse mal. Pensando nisso, além das coberturas, a seguradora também oferece em seus planos de Seguro de Vida, o Aplicativo Vida Saudável para que o segurado cuide do corpo e da alimentação com a ajuda de profissionais especializados.

Fonte: Globo.com

 

 

Setor de seguros indenizou 300 mil celulares roubados em 2017

O programa “Fantástico”, da Rede Globo, divulgou no domingo passado (28), uma ampla reportagem sobre roubos e furtos de celulares. A matéria também mostrou a rede de apoio aos criminosos para o desbloqueio dos aparelho e troca do IMEI, processos, aparentemente, muito fáceis. Por meio de um aplicativo secreto, os repórteres conseguiram seguir remotamente um aparelho roubado, identificando todas as fases do crime.

Assista à reportagem: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2018/01/apos-seguir-celulares-saiba-como-bandidos-fazem-para-vende-los.html

Devido ao aumento do número de roubos, a procura pelo seguro de celulares aumentou 70%, de 2017 até agora, informou a reportagem. Ao todo, foram 300 mil celulares indenizados somente no ano passado, no Brasil.

Para combater o crime, as operadoras e a Agência Nacional de Telecomunicações dizem que vão tirar da rede todos os celulares piratas ou com IMEI adulterado, o que deve acontecer, segundo a reportagem, em maio.

Fonte: CNseg e Assessoria de Comunicação do SINCOR-GO

 

Bernard & Bernard Seguros